Arcada

31/03/2011

Não é sorriso.
Não é eclosão de ciso.
É esgar.
É nervoso fatalista
Por ter te perdido em definitivo.

 


Inimigo

07/03/2011

Nem aquele paralisante receio
Nem as maquiavélicas auréolas destes seios
São os réus confessos nesta hora;
Descobri em relampejo o culpado oculto de eu ter deixado você ir embora:

Quis te dar tempo. Te dei todo o tempo.
Exatamente esse mesmo tempo que hoje me doa
A matéria prima para continuar doendo.

Porque sei que, sim, o tempo, ele mesmo, é o meu maior inimigo;
Não correu a meu favor jamais
Pela grade alimentando venosamente esse desejo de ter apenas você
Antes de chegar o dia em que eu finalmente não o possa mais.